quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Luxã Nautilho, na Performance "O Homem Orgânico", Modelo Fotográfico Performático, no Ensaio fotográfico na UFPA (Universidade Federal do Pará).

 A proposta deste momento é o homem orgânico se levantar do solo onde estava deitado e enterrado com materiais orgânicos da natureza, com a expressão de um olhar morto olhando para o nada, olhar murcho, triste e pequeno, além do rosto sofredor, o sofrimento homem da terra. É o grito do clamor da natureza destruída, poluída, devastada pelo homem, o clamor que brota do âmago da terra, que nasce do pó como uma fênix renascida do barro, assim  anatureza grita e tenta se recompor.
Direção e fotografia de Maria Smith
e Jonas Santos